Etiquetas

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

ANIMAIS NOCTURNOS (Nocturnal Animals) de Tom Ford

A História: Susan, é uma mulher culta e rica, que dirige uma galeria de arte. Um dia recebe o manuscrito de uma novela escrita pelo seu ex-marido, que é muito mais que um simples thriller.

Os Actores: Tal como a sua personagem Susan, Amy Adams tem uns belos mas tristes olhos e aqui o realizador Tom Ford soube tirar o maior proveito dos mesmos. Expressivos, por vezes tristes, por vezes frios, são tudo o que Adams necessita para dar vida a Susan e torná-la numa personagem amargurada, de uma beleza fria e elegância extrema, que ao mesmo tempo consegue cativar a nossa empatia. Este é um dos seus melhores desempenhos. No papel duplo do seu ex-marido e “herói” da novela, Jake Gyllenhaal continua a demonstrar ser um dos melhores e mais versáteis actores da sua geração, para já não dizer que também é dos mais giros e sexys. Em papéis secundários Michael Shannon brilha como o empenhado detective da novela e Aaron Taylor-Johnson é excelente como o destrambelhado mau da novela. Uma última palavra para a curta, mas fabulosa, aparição de Laura Linney como a mãe de Susan. Acredito que Adams, Gyllenhaal, Shannon e Taylor-Johnson poderão fazer parte dos nomeados aos próximos Óscares.

O Filme: O primeiro filme de Tom Ford, A SINGLE MAN, era simplesmente fabuloso, portanto a fasquia para a sua segunda incursão no cinema era muito alta. O presente filme não tem nada a ver com o anterior, a não ser a nível estético. Mais uma vez as imagens são belíssimas e percebe-se o cuidado que Ford teve até nos pequenos pormenores: tal como o seu filme anterior, estamos perante um objecto de beleza. Mas o filme tem uma boa história e personagens interessantes a habitar esse objecto. Se à primeira o filme decepciona, a verdade é que aos poucos e poucos, conforme o tempo vai passando, começa a tornar-se um objecto fascinante que vai crescendo dentro de nós. A forma como a história de Susan se intercala com o thriller escrito pelo seu ex-marido é por vezes brilhante, mas só percebemos isso na cena final, que é perfeita e onde Amy Adams está lindíssima. Ford tem perfeita noção do que quer e de como nos levar lá, de forma subtil e cativante. A vingança serve-se fria e de forma elegante. Não é um filme fácil e não é para todos, mas vale a pena ver.

Classificação: 7 (de 1 a 10)




















Sem comentários:

Enviar um comentário