Etiquetas

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

WIND RIVER de Taylor Sheridan

A História: Cory, um caçador e leitor de pistas, junta-se a uma novata agente do FBI, Jane, para tentarem descobrir quem é o responsável pela morte de uma jovem, cujo corpo foi encontrado por ele no meio da neve de uma reserva nativa americana.

Os Actores: Jeremy Renner tem aqui um papel à sua medida e vive-o de alma e coração, dando-nos, na minha opinião, a melhor interpretação da sua carreira. A seu lado, Elizabeth Olsen dá credibilidade à aparentemente frágil agente do FBI. O veterano Graham Greene também brilha como o xerife local. A verdade é que todo o elenco dá realismo a uma interessante galeria de personagens.

O Filme: A paisagem bela e inóspita onde decorre a acção, tem estatuto de personagem neste filme do realizador/argumentista Taylor Sheridan. É nela que se desenrola a trama policial, bem como os dramas interiores dos seus personagens, e Sheridan consegue equilibrar ambas, dando-nos um filme muito bem construído, onde nada é deixado ao acaso. A acção pode custar um pouco a arrancar, mas as personagens prendem-nos ao ecrã e a tensão vai crescendo até culminar num momento de grande violência, mas sem descurar as emoções vividas pelos personagens. Para mim é um dos grandes filmes deste ano e não me admiro se Taylor Sheridan, Jeremy Renner e o filme vierem a estar entre os nomeados para os Óscares. Um filme duro, a não perder!

Classificação: 8 (de 1 a 10)






















terça-feira, 15 de agosto de 2017

ATOMIC BLONDE – AGENTE ESPECIAL (Atomic Blonde) de David Leitch

A História: Berlim dias antes da queda do muro. Lorraine Broughton é uma agente secreta que é enviada a Berlim para investigar a morte de um colega e recuperar uma lista que revela a identidade de vários agentes secretos. Aí é ajudada por Percival, um colega de profissão com uma perigosa agenda pessoal.

Os Actores: Charlize Theron pode não ser uma loira atómica, mas é uma verdadeira bomba em todos os aspectos. Aqui tem um papel feito à sua medida e é a mais sexy mulher 'kick-ass' dos últimos anos; Theron revela mais uma vez ser, para além de uma excelente actriz dramática, uma excelente mulher de acção. A seu lado, o sempre talentoso James McAvoy convence como o traiçoeiro Percival. John Goodman é sempre uma presença forte e Sofia Boutella uma sensual agente francesa.

O Filme: David Leitch, que aqui se estreia na realização de longas-metragens, dá-nos um thriller de acção empolgante, divertido, pouco plausível e que tem o bom senso de não se levar a sério. Com um ritmo por vezes vertiginoso, um excelente uso da situação política da altura e uma série de excelentemente coreografadas cenas de porrada, é um bom exemplo de cinema de acção sem qualquer tipo de pretensões. O filme fará as delícias dos apreciadores deste género. Claro que, se preferirem os vossos filmes de agentes secretos mais realistas e sérios, não vão gostar tanto como eu. Mas mais que não seja, não percam a oportunidade ver Theron no grande ecrã, acreditem que vale a pena! Cinema de acção e diversão em puro estado de adrenalina.

Classificação: 7 (de 1 a 10)



















domingo, 30 de julho de 2017

DUNKIRK de Christopher Nolan

A História: Durante a Segunda Guerra Mundial, cerca de 400.000 soldados das forças aliadas estão cercados pelos alemães e refugiam-se nas areias da praia de Dunkirk. Aí, enquanto aguardam ser salvos, são alvos fáceis para os caças alemães e a sua única esperança são as pequenas embarcações inglesas que rumam da costa inglesa para Dunkirk.

Os Actores: Caras conhecidas como Tom Hardy, Mark Rylance, Kenneth Branagh e Cillian Murphy, partilham o protagonismo com nomes pouco conhecidos como Fionn Whitehead, Jack Lowden, Aneurin Barnard, Barry Keoghan, Tom Glynn-Carney e Harry Styles. O resultado é equilibrado, realista, convincente, sem heróis ou anti-heróis. Aqui não há estrelas, apenas excelentes profissionais a fazerem o melhor que sabem.

O Filme: Atrevo-me a dizer que este é, até agora, o melhor trabalho do realizador/argumentista Christopher Nolan. Num registo mais realista do que é seu costume, Nolan dá-nos um filme tecnicamente perfeito, mas onde o que conta é o factor humano. Angustiante da primeira à última imagem, é um filme intenso que nos prende à cadeira e que se segue com o coração nas mãos. A nossa ligação com os milhares de soldados que esperam por um milagre nas areias de Dunkirk pode não ser muito íntima, mas é muito emocional e, apesar de não os conhecermos bem e de alguns estarem dispostos a tudo para sobreviver, a verdade é que estamos incondicionalmente do seu lado. Longos planos, efeitos especiais realistas, uma fotografia fabulosa, uma montagem genial, uma banda sonora adequada, pequenas histórias simples, dão-nos uma visão inesquecível e crua de uma guerra que marcou para sempre a história da humanidade. Um dos melhores filmes do ano e, se houver justiça, já um sério candidato aos próximos Óscares. A não perder!

Classificação: 8 (de 1 a 10)