Etiquetas

sábado, 21 de maio de 2016

PELO CLUBE DE VIDEO: MAIO 2016

99 CASAS (99 Homes) de Ramin Bahrani
Um jovem pai, sem trabalho e que perde a sua casa, vai trabalhar para o corrector de imóveis que lhe tirou a casa. Um drama angustiante e realista sobre uma situação infelizmente muito comum nos tempos que correm. Excelentes interpretações de Andrew Garfield, como o dividido pai de família com consciência, e Michael Shannon, como o frio e impassível corrector. Recomendo, mas preparem-se para ficar angustiados. Classificação: 7 (de 1 a 10)

RUTH E ALEX (5 Flights Up) de Richard Loncraine
Morgan Freeman e Diane Keaton são um casal de reformados que pensam mudar de casa, nesta bem-humorada comédia. Os potenciais compradores da sua casa são uma divertida galeria de personagens que nos fazem pensar duas vezes se algum dia quisermos fazer uma “open house”. Num papel secundário, Cynthia Nixon interpreta uma das personagens mais irritantes que tenho visto nos últimos anos. É um daqueles filmes que nos deixa com um sorriso nos lábios e Freeman e Keaton formam um casal simpático. Classificação: 6 (de 1 a 10)

UM PRESENTE DO PASSADO (The Gift) de Joel Edgerton
A vida de um casal entra em turbilhão quando um velho colega de escola do marido reaparece nas suas vidas. Com um ritmo lento, o realizador/argumentista e também actor Joel Edgerton, vai criando um ambiente de tensão, que se vai intensificando até ao final. Tal como a personagem da esposa, uma frágil Rebecca Hall, vamos descobrindo as coisas lentamente e depressa nos percebemos que nem tudo é o que parece. No papel do marido, Jason Bateman muda o seu registo habitual e é uma agradável surpresa; no papel do colega do passado, Edgerton é convincente e pegajoso. Um thriller negro que recomendo sem reservas. Classificação: 7 (de 1 a 10)

A NOITADA (The Overnight) de Patrick Brice
Um casal que acabou de se mudar para Los Angeles é convidado para jantar em casa de um casal que acabaram de conhecer no parque infantil, com resultados inesperados. Uma divertida e embaraçosa comédia com um convincente quarteto de actores, cuja química é evidente: Adam Scott, Taylor Schilling, Jason Schwartzman e Judith Godrèche. As gargalhadas não são forçadas e a história leva-nos facilmente a imaginar o que faríamos confrontados com uma situação semelhante. Acreditem, é mesmo divertido! Classificação: 7 (de 1 a 10)

A MINHA GRANDE NOITE (Mi Gran Noche) de Álex de la Iglesia
Durante a gravação de um programa de fim-de-ano de uma estação de televisão, cruzam-se as histórias de vários personagens, acabando em caos. Esta comédia de Álex de la Iglesia não é dos seus melhores filmes, mas ainda assim faz-nos rir e o elenco está em perfeita sintonia com a loucura instalada, dando-nos uma colorida e louca galeria de personagens. 100 minutos de boa disposição. Classificação: 6 (de 1 a 10)

MÃE GA(Y)LINHA (Helicopter Mom) de Salomé Breziner

A mãe de um jovem acha que o seu filho poderá ser gay e que isso o poderá ajudar a conseguir uma bolsa de estudo, assim decide tirá-lo do “armário”. A ideia é original e tinha potencial para nos dar uma comédia hilariante, mas infelizmente perde-se em piadas sem graça, arrasta-se sem imaginação e é muito previsível. No papel da mãe, Nia Vardalos está igual a si própria, tem alguma graça, mas só alguma. Classificação: 3 (de 1 a 10)

2 comentários:

  1. Um Presente do Passado: 4*

    "Um Presente do Passado" não é perfeito, mas é um filme bastante bom e está repleto de suspense.

    Cumprimentos, Frederico.

    ResponderEliminar
  2. 99 Casas: 5*

    Um filme excelente que mostra de uma maneira crua, mas real o mundo do setor imobiliário e do sistema de despejos nos EUA recomendo.

    Cumprimentos, Frederico Daniel.

    ResponderEliminar