Etiquetas

terça-feira, 28 de maio de 2013

ALIEN, O 8º PASSAGEIRO de Ridley Scott


Quando este filme estreou em Portugal, o seu realizador, Ridley Scott, era um ilustre desconhecido, bem como Sigourney Weaver. O filme trouxe merecida fama aos dois e continua a ser um dos melhores exemplos do género, com uma mistura perfeita de ficção científica e terror.

A ideia é muito simples e, no fundo, é igual a muitos outros filmes do género, principalmente de terror. As velhas mansões assombradas dão lugar a uma nave sinistra e o monstro que semeia a morte nos seus corredores é um extra-terrestre. Neste cenário um grupo de personagens interessantes interpretadas por um elenco forte e a mestria de Scott prendem-nos à cadeira da primeira à última imagem, mal nos deixando respirar.

Uma das melhores coisas do filme é o facto de ver-se mal o “alien”, o que o torna ainda mais assustador. O outro trunfo é a interpretação de Sigourney Weaver, criando talvez a primeira grande heroína do cinema do género; a sua personagem, Ripley, já faz parte da história do cinema. Por último, temos os fabulosos cenários e a criatura desenhada por H. R. Giger, ambos inesquecíveis e, na altura da estreia, completamente diferentes de tudo aquilo que se tinha visto até então no cinema.

A publicidade dizia “No espaço ninguém ouve os seus gritos”, mas na grande sala do Cinema Império (um dos maiores de Lisboa) podiam ouvir-se os gritos do público que esgotava a sessão a que eu assisti em Janeiro de 1980. O ecrã gigante deste cinema subjugava-nos com força e na famosa cena em que nasce o “alien” toda a gente gritou, eu incluído. Foi emocionante!


3 comentários:

  1. este é daqueles que nunca consegui ver no grande ecrã... ;__;
    quando estava em cartaz, fui com a minha escola ao Quarteto ver um filme do Chaplin (de quem nunca gostei) e queria escapar para a outra sala onde estava o Alien. claro que não me deixaram, era demasiado nova e ainda por cima rapariga, para me deixarem ver um filme tão assustador. mesmo agora ainda acho que tinha gostado mais de ver o Alien que O Circo (também não sou fã de circo...)

    ResponderEliminar
  2. Entre o Chaplin e o Alien não tenho dúvida nenhuma que escolhia o segundo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. pois é, imagina o meu trauma! ainda por cima as reposições do Alien em sala foram muito poucas nestes 30 e tal anos...

      Eliminar