Etiquetas

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

VAMPIRA de Clive Donner


Qualquer filme que tenha o David Niven a fazer de Conde Drácula não pode, nem deve, ser levado a sério. A premissa da história, uma transfusão de sangue corre mal e a esposa do Conde fica negra, revela o tipo de humor do filme.

O que me lembro melhor é o facto de haver muitas gajas em trajes menores e de não ter achado grande graça ao filme. Quem sabe, se o vir hoje talvez lhe consiga achar alguma piada. Ao que eu sempre achei piada foi ao cartaz.









Sem comentários:

Enviar um comentário